Diabetes

Diabetes

 

Diabetes é o grupo de doenças metabólicas onde se verificam níveis elevados de glicose no sangue durante longos períodos, resultantes da falta de insulina ou da incapacidade da insulina desempenhar suas funções normais.

A insulina é o hormônio responsável por fazer com que o açúcar presente na corrente sanguínea entre nas células. Quando não há insulina o suficiente, ou quando a insulina não consegue agir de maneira eficiente, ocorre um acúmulo de glicose no sangue que causa os graves problemas conhecidos da diabetes: doenças cardiovasculares, cegueira. E em alguns casos é necessário realizar amputações.

Os sintomas incluem necessidade frequente de urinar, aumento da sede e da fome. Outros sintomas, menos específicos da diabetes, envolvem visão turva, fadiga, dores de cabeça, coceira e lenta cicatrização de cortes.

Existem três tipos principais de diabetes:

Diabetes tipo 1: quando o pâncreas não consegue produzir quantidades satisfatórias de insulina.

Diabetes Tipo 2: quando as células não conseguem responder à insulina de maneira satisfatória.

Diabetes gestacional: ocorre em mulheres grávidas que, sem histórico de diabetes, acabam apresentando níveis altos de glicose no sangue.

 

Diabetes tipo 1

Esse tipo é auto-imune, ou seja, causada pelo sistema imunológico da pessoa: células de defesa atacando o próprio corpo. A diabetes tipo 1 ocorre quando os glóbulos brancos do paciente destroem as células beta, que ficam no pâncreas e têm o papel de produzir a insulina.

Esse tipo de diabetes surge de maneira inesperada e geralmente logo no início da vida. Aproximadamente 10% dos casos de diabetes são tipo 1.

Uma vacina está sendo desenvolvida nos EUA para auxiliar no tratamento da diabetes tipo 1. Veja mais no post vacina e tatuagem para diabetes.

 

Diabetes tipo 2

É o tipo mais comum: aproximadamente 90% dos casos. Não é apenas uma questão de genética, pois o estilo de vida e fatores externos possuem forte influência no desenvolvimento dessa doença. Geralmente ocorre em pessoas obesas, que consomem muito açucar e praticam poucos exercícios físicos.

As células perdem a sensibilidade à insulina, de maneira que altas concentrações de glicose permanecem no sangue ao invés de penetrar nas células.

Mas como obesidade e a gordura têm  efeito no desenvolvimento da diabetes tipo 2?

Existem dois tipos principais de gordura, a subcutânea e a visceral. A subcutânea se encontra logo abaixo da pele, acima dos músculos, protegendo o corpo contra o frio, dando curvas ao corpo das mulheres, servindo como reserva de energia. Seu excesso faz mal à saúde e influencia nos aspectos estéticos do corpo.

A gordura visceral é muito mais perigosa. Ela se encontra ao redor dos órgãos causando uma série de problemas, diabetes tipo 2, complicações cardíacas, entre outros, e até o câncer. Esse tipo de gordura se concentra na região da barriga.

A gordura visceral é mais ativa biologicamente, sendo capaz de secretar por conta própria inúmeros compostos prejudiciais à saúde. Essa gordura secreta adipocinas e citocinas que causam um estado pró-inflamatório, pró-coagulante e insulina resistente conhecido como síndrome metabólica. Esse estado facilita o desenvolvimento da diabetes; as inflamações causam danos nos órgãos internos contribuindo para a formação de tumores.

O tecido adiposo visceral diminui a produção de adiponectina. Esse hormônio atua na proteção contra a diabetes tipo 2, contra o câncer, problemas cardíacos e outras complicações da saúde.

 

Diabetes Tipo 2: Homens X Mulheres

Homem Mulher Distribuição de Gordura para Diabetes Tipo 2

Homens são maçãs, mulheres são peras.

Uma boa notícia para as mulheres. O gênero possui forte influência na distribuição de gordura. As mulheres possuem maior porcentagem de gordura subcutânea do que os homens. Já eles acumulam de 20 30 % da gordura corporal total na forma visceral (barriga), independentemente do nível de obesidade. As mulheres, por outro lado, apenas acumulam quantidades significantes de gordura visceral após alcançar  certo nível de obesidade, ou seja, mulheres não obesas apresentam quantidades reduzidas desse tipo de gordura.

De maneira geral, em média, os homens têm duas vezes mais gordura visceral do que as mulheres. Por isso o sexo masculino apresenta maiores problemas relacionados a complicações metabólicas causadas pela obesidade e sobrepeso. Um dos motivos para isso deve-se ao fato do estrogênio (hormônio feminino) reduzir a gordura abdominal. Olhando ao redor vemos que os homens guardam mais gordura na barriga do que as mulheres. E é por isso também que as mulheres, quando atingem a menopausa, acabam acumulando mais gordura na barriga do que antes (onde fica a visceral).

 

Tratamentos

A diabetes é uma doença crônica e não existe hoje uma cura conhecida. O tratamento se baseia na manutenção de níveis normais de glicose no sangue. Para tanto são utilizados medicamentos, aplicação de insulina, manutenção de uma dieta equilibrada, exercícios físicos e manutenção da qualidade de vida.
Além dos tratamentos tradicionais da diabetes, também utilizamos a medicina Ortomolecular, que atua no reequilíbrio do corpo até o nível celular.

Na página Perda de Peso falamos sobre a dieta da proteína low carb, que é muito boa para diabéticos. Essa dieta evita carboidratos e açucares fazendo com que o pâncreas descanse, isto é, não necessite de uma grande produção de insulina.

Para realizar a prevenção ou tratamento da diabetes marque uma Consulta.

 

6 comentários em “Diabetes

  1. a Doutora Palmira é uma médica excelente. Atendimento de primeira, atenciosa, muito conhecimento e competência. Recomendo!

    Curtir

  2. Diabeteste provoca sensação de queimadura na sola dos pés?

    Curtir

    • Olá Francisco,

      a Diabetes pode causar essa sensação sim. Ela acontece pela falta de melina que recobre os nervos, que é formada em sua maior parte por ácidos graxos e complexo B ( vitaminas). Se o paciente não for tratado essa sensação desaparece, substituida por uma anestesia nos pés (vai perdendo a sensação de tato). Nessa situação é a fase mais grave. Procure um médico: o tratamento é simples com administração de complexo B ( citoneurim drágeas ou ampola intramuscular), tendo que ser avaliada também a parte circulatória que pode estar comprometida. Mas principalmente, é necessário realizar o controle da glicemia.

      Abraços!

      Curtir

  3. Minha glicose está normal mais minha Insulina está alta demais ….. E meu risco cardiovascular também está alto…..

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: