Perda de Peso e Obesidade

Perda de Peso Emagrecimento Endocrinologia

Perda de Peso e Obesidade

A melhor forma perder peso é aliar 5 tipos estratégia:

  1. Dieta – Proteína ou low carb
  2. Acompanhamento endocrinológico
  3. Medicina ortomolecular
  4. Exercícios
  5. Clínica de Estética

Abaixo explicamos cada uma para que você obtenha completa sinergia.

1. Dieta – Proteína ou low carb

Geralmente se fala muito das dietas da moda. Sempre surge uma nova: a base de chás, papinhas, etc… Mas seria possível uma dieta da moda já existir há dezenas de anos? E ainda por cima ser a melhor de todas. O que foi que andaram inventando?

A dieta da proteína, ou low carb, basicamente recomenda a redução do consumo de açucares e carboidrato, dando preferência às proteínas e verduras. Parece simples, mas não é – ao menos para aqueles que desejam tirar o melhor proveito, emagrecer definitivamente, e ainda por cima melhorar a saúde. Como tudo na vida a dieta é não apenas uma questão de esforço: é uma questão de eficiência e planejamento.

Um dos vários problemas de outras dietas da moda é que, apesar de também focarem na redução do consumo de açucares e carboidratos, não atendem a um requisito fundamental da manutenção de qualquer dieta: a redução da fome. Essas dietas tornam-se um verdadeiro sofrimento. E além de sacrificadas, ainda podem causar sérios problemas à saúde por causa de restrições alimentícias nocivas e hábitos incorretos. Emagrecer não precisa ser assim.

Mas atenção: talvez a dieta da proteína, ou low carb, não seja para você. É fundamental um acompanhamento médico para verificar as necessidades do seu corpo.

Vamos às principais características da dieta da proteína, ou low carb.

  • O que comer.

Proteina

Ovos, peixes, frutos do mar, cogumelos, queijos e carnes de maneira geral: bovina, suína, frango, cordeiro, etc… E verduras.

As proteínas são blocos para a construção do nosso corpo, músculos, atividades celulares e outras funções importantíssimas. Seu consumo causa grande saciedade, diminuindo o apetite.

Peixes e frutos do mar são carnes com menos gordura e possuem nutrientes fundamentais para o cérebro como o fósforo e ômega 3. Estudos indicam que o consumo desse tipo de carne ajuda a proteger o cérebro de doenças como o Alzheimer. Seu desempenho no trabalho, estudos e demais atividade intelectuais também serão melhorados. Mas cuidado com o consumo exagerado: infelizmente peixes podem estar infectados com mercúrio. Frutos do mar também não possuem tanta vitamina B12, que deve ser obtida através da carne vermelha. Atenção também para possíveis alergias que você possa ter.

Ovos são uma excelente fonte de proteína. Evite a gema caso você tenha problemas com colesterol. Fique também de olho em questões de higiene e integridade do produto por causa da salmonela. Não é recomendado comer gema mole fora de casa. O calor destrói as bactérias. Uma coisa muito legal sobre os ovos é que os hormonios dados às galinhas não chega nos ovos!

Carnes vermelhas são as melhores fontes para a vitamina B12 que atua na formação do sangue, atividade metabólicas e na formação do sistema nervoso. São carnes mais gordurosas, então cuidado para aqueles que têm problemas cardíacos e colesterol alto. Evite também o fígado da carne bovina, pois lá é que se concentra o estrogênio que as indústrias inserem para o crescimento desses animais.

O frango também é uma boa proteína, mas não é fonte de fosfato e ômega 3 com os frutos do mar, nem de vitamina B12 como a carne vermelha. Infelizmente muitos hormônios são aplicados no frango. Por causa disso dê preferência à coxa e sobrecoxa, evite consumir o peito (que é onde geralmente aplicam o estrogênio, e lá se encontram os receptores desse hormônio). Se quiser comer peito, escolha o frango orgânico. Para mais informações sobre os efeitos do estrogênio no frango veja o post Frango e hormônios – cuidados na alimentação.

Porco é uma carne gordurosa, mas tem a grande vantagem de se utilizar muito menos hormonio na criação desses animais.

Queijo:  Dê preferência ao queijo padrão amarelo. Geralmente as indústrias colocam grandes quantidades de farinha de trigo e maizena no queijo padrão branco, e acabamos consumindo muito carboidrato e pouco queijo. Se você gostar muito do branco escolha o com os furinhos: essa aeração dos furinhos só é possível quando não há tanta farinha e maizena.

O cogumelo é uma excelente escolha porque possui altíssimas quantidades de proteína e baixíssima quantidade de carboidrato. Recomendamos o shitake e shimeji.

Verduras e vegetais com pouco carboidrato. Verduras e vegetais são excelentes fontes de minerais, vitaminas e fibras. É muito importante variar para obter um espectro completo de nutrientes para o seu corpo.

Alguns legumes com pouco carboidrato são:  brócolis, repolho e couve-flor. Mas não coma tanta couve-flor e brócolis: eles diminuem a conversão de T4 em T3, o que diminui o metabolismo e queima de gordura fica mais lenta ( aliás, tudo fica mais lento).

Frutas. Ao contrário do que pensam por aí você pode comer frutas sim! Ao menos algumas.

Hoje, para a surpresa de muitos, sabemos que o abacate é excelente para emagrecer. Ele é uma fruta zero frutose. Sua gordura é muito boa para a saúde e não entope as artérias. O abacate é a principal fruta da dieta da proteína. Use e abuse!

Existem outras fores legais depois do abacate. Você pode consumir diariamente, ao invés de abacate:10 morangos e 2 pêssegos. São frutas com teor de frutose reduzido.

  • O que não comer

Carboidratos

Evite carboidratos e açucares.

Massas, pães, doces, raízes (batata, por exemplo), arroz, etc…

Coma frutas, mas em pouca quantidade. São alimentos saudáveis e cheios de vitaminas, porém possuem açucares (frutose). Fuja especialmente da melancia, laranja e manga. Conforme já conversamos, pode abusar do abacate, ou comer um pouco de morango e pêssego.

Milho, xuxu, vagem, abobrinha verde, berinjela ( cuja água de berinjela diminui o colesterol, porém a polpa da berinjela é carboidrato), jiló, maxixe, batata, batata doce, inhame, cenoura, palmito, beterraba, arroz, caroço de feijão ( só comam o caldo do feijão, sem bater o caroço).

Falam de uma regra de comer apenas vegetais que crescem acima do solo. Mas o jiló e xuxu crescem acima do solo, o xuxu é uma trepadeira. Já o rabanete apesar de ser raíz, possui pouquíssimo carboidrato.

É engraçado como às vezes comemos alimentos que parecem tão “inocentes”, mas na verdade são grandes vilões. Uma colher de mesa de vagem engorda tanto quanto uma colher de mesa de arroz. Uma colher de mesa de xuxu, engorda tanto quando um pão francês. Xuxu! quem iria imaginar? Quando comemos um prato de macarrão sabemos que estamos nos entupindo de carboidratos, mas quem suspeitaria de uma singela vagem?

No entanto se você gosta de malhar a batata doce é uma excelente fonte de energia pois é um carboidrato de longa absorção. Também é vantajoso consumir frutose (suco de frutas, por exemplo) logo antes da atividade física para um impulso imediato de energia. Calma, sem confusão! Isso é apenas para lembrar a dieta não precisa, e não deve ser, a mesma para todos. Cada um de nós tem um corpo, um objetivo, e uma genética diferentes.

Dos carboidratos muito usados para quem faz exercício, são: batata doce e inhame. A batata doce, apesar do nome “doce”, exige um baixíssimo nível de insulina pelo pâncreas, o que é muito bom. O inhame é um grande protetor da imunidade. Só usem esses dois carboidratos para os exercícios.

Para descobrir a melhor dieta para você é fundamental o acompanhamento médico.

Evite bebidas à base de cevada como a cerveja, pois levam à uma alta armazenagem de gordura na região abdominal.

  • Sobre o pão francês:

Pão

O pão francês equivale caloricamente a:

3 biscoitos água e sal

3 retângulos de clube social ( inclusive integral)

3 biscoitos nesfit

2 pães de forma ( integral ou não)

1 colher de servir ( aquela grande) de carboidratos

1 tapioca pequena

1 crapioca pequena (ovo com tapioca)

Se torrar o pão francês você pode dobrar a quantidade. Isto é, um pão francês sem ser torrado equivale caloricamente a 2 pães franceses torrados. Legal né?

  • Cuidados

Alto consumo de proteína não é indicado para pessoas com problemas nos rins. Também é importante consumir bastante água ao longo do dia. Quanto mais carne comer, mais líquido você deverá beber.

Cuidado com o mercúrio do peixe e com os hormônios nas carnes.

Como já foi dito, é fundamental conhecer o funcionamento e as necessidades do corpo de cada pessoa. Portanto procure um profissional muito bem qualificado para o acompanhamento da dieta: não apenas por causa de contraindicações, mas também para alcançar os melhores resultados de maneira rápida, com menos esforço e melhorar a sua saúde por completo ( não apenas perder peso).

  • Além da perda de peso

Além da perda de peso a dieta da proteína ou low carb apresenta uma série de outros benefícios:

Ajuda na diabetes: faz com que o pâncreas descanse, isto é, não necessite de uma grande produção de insulina.

Fortalecimento dos músculos: através do foco no consumo de proteína.

Variabilidade de nutrientes: como foi explicado o consumo de diversos vegetais ,proteínas e até algumas frutas fornecem uma vasta gama de nutrientes.

2. Acompanhamento endocrinológico

Endocrinologia

Algumas pessoas não conseguem um emagrecimento satisfatório mesmo realizando diversas dietas e exercícios físicos. Na maioria das vezes a razão para isso é hormonal e metabólica.

Os hormônios são os operários e gestores da fábrica que é o nosso corpo. As fábricas transformam a matéria prima que recebem num produto final que deve ter qualidade.

O que acontece com determinadas pessoas é que por mais que elas recebam matérias primas de qualidade (boa alimentação e exercícios físicos), suas fábricas simplesmente não conseguem assimilá-las de forma a resultar num bom produto final (emagrecimento e saúde).

Já outras pessoas ( as sortudas) possuem fábricas extremamente eficientes, de forma que mesmo recebendo matéria prima de má qualidade elas conseguem obter os bons produtos. São as criaturas iluminadas que comem montanhas de macarrão e sorvete e continuam magérrimas.

A endocrinologia, entre outras coisas, reconstrói e regula essa fábrica.

A testosterona, por exemplo, atua na geração de mais músculos e na queima de gordura. O hormônio de crescimento que é gerado durante exercícios e no sono ajuda muito na queima.

Então, adquirindo a melhor matéria prima para uma fábrica poderosa você obterá os melhores produtos.

Procure um endocrinologista para reformar sua fábrica!

3. Medicina ortomolecular

Ortomolecular

A medicina ortomolecular pode te ajudar muito a perder peso. É uma ciência que busca devolver a saúde do corpo por meio do próprio corpo. Através da utilização de vitaminas, minerais, hormônios, antioxidantes, aminoácidos, eliminação dos radicais livres, damos ao corpo os materiais para que ele se regule e se reconstrua, alcançando uma melhor saúde e a cura. Dessa forma é possível combater diversas doenças e o envelhecimento.

Veja nossa página de Medicina Ortomolecular.

Você sabia que você pode estar engordando por estar dormindo mal? Graças à baixa oxigenação corporal durante processos de insônia temos aumento de gordura corporal. Não falta mais nada, até dormir mal engorda.

4. Exercícios

Medicina Esportiva

Os exercícios aceleram o metabolismo, produzem hormônio de crescimento que queima gordura, fortalecem músculos que irão absorver mais energia, entre muitas outras coisas. Outra especialidade de nosso consultório é a Medicina Esportiva, onde lhe ajudamos a planejar seus exercícios para alcançar os melhores resultados.

5. Clínica de estética

Vacuoterapia, Estética

Queimar gordura, modelar o corpo e fortalecer músculos da maneira mais rápida e fácil. Veja nossos tratamentos na Clínica de Estética.

Conclusão

Alie uma dieta direcionada aos seus objetivos e necessidades, acompanhamento médico e exercícios para emagrecer definitivamente. Conheça nossos tratamentos e marque uma Consulta.

%d blogueiros gostam disto: