Tatuagem e Vacina para Diabetes

Tratamento com Vacina para Diabetes

 

Duas notícias muito interessantes para quem sofre de diabetes. Uma vacina para o tratamento, e tatuagem para acompanhamento.

 

Vacina para Diabetes

 

A vacina é para o tratamento de diabetes tipo 1. Esse tipo é auto-imune, ou seja, causada pelo sistema imunológico da pessoa: células de defesa atacando o próprio corpo. A diabetes tipo 1 ocorre quando os glóbulos brancos do paciente destroem as células beta, que ficam no pâncreas e têm o papel de produzir a insulina. A insulina, por sua vez, é o hormônio responsável por fazer com que o açúcar presente na corrente sanguínea entre nas células. Quando não há insulina o suficiente ocorre um acúmulo de glicose no sangue que causa os graves problemas conhecidos da diabetes: doenças cardiovasculares, cegueira. E em alguns casos é necessário realizar amputações.

Pois bem, a vacina que pode ajudar na luta contra a diabetes tipo 1 foi inventado há quase um século: vacina BCG, originalmente projetada para combater a tuberculose. Mas o que uma coisa tem a ver com a outra?

Acontece que a vacina BCG já vem sendo estudada para o tratamento de doenças auto-imunes, como é o caso da esclerose múltipla: pacientes vacinados tiveram o progresso da doença impedido. A vacina também tem provado efeitos benéficos contra várias alergias. E agora, em pesquisas sendo realizadas na Universidade de Harvard, também aponta para melhoras na diabetes tipo 1.

A vacina BCG induz a produção de linfócitos T regulatórios, que são responsáveis por regular as demais células do sistema imunológico. A baixa contagem desses linfócitos faz com que células do sistema imunológico ataquem partes saudáveis do corpo, confundindo-as com elementos nocivos que devem ser destruídos. Assim as células beta do pâncreas são destruídas e a diabetes tipo 1 se instaura.

Linfócito T ajuda no tratamento de Diabetes Tipo 1

Linfócito T

Em testes realizados sob o comando de Denise Faustman, líder do projeto, pacientes com mais de 15 anos de diabetes apresentaram um aumento significativo dos linfócitos T regulatórios após a aplicação da vacina BCG. Foi identificado até um pequeno aumento na produção de insulina pelo pâncreas.

Os resultados são tão promissores que o FDA (US Food and Drug Administration) aprovou a continuação das pesquisas, agora com 150 pacientes. A lista de espera de voluntários para os testes é enorme. Hoje estima-se que mais de 400 milhões de pessoas sofrem com a diabetes no mundo.

Falando em vacinas, uma nova resolução em análise pela ANVISA estuda a aplicação de vacinas em farmácias.

 

Tatuagem para acompanhamento de diabetes

 

A outra novidade que a ciência nos traz é a tatuagem para monitoramento de glicemia.

Cientistas do MIT e de Harvard desenvolveram uma tinta biossensorial cujos componentes químicos apontam para eventuais irregularidades presentes no corpo, e não apenas a respeito de glicose: também o pH e nível de sódio.

A tinta funciona tanto para diabetes do tipo 1 quando para o tipo 2, pois o que é medido é o nível de glicose. Quando o nível está alto a tinta muda de cor para azul, lembrando à pessoa que ela deve tomar insulina. Com relação ao pH, quando o sangue fica muito alcalino, a tatuagem muda de roxo para rosa. A tinta apresenta uma coloração mais forte de verde de acordo com a concentração de sal.

Porém a tecnologia ainda está em desenvolvimento. Os testes ocorreram até o momento em pele de porco, que é bastante parecida com a humana. A promessa é simplificar a rotina dos diabéticos, diminuindo a necessidade dos procedimentos tradicionais, mais invasivos, para a medição da glicemia.

 

Essa é uma das coisas mais bonitas da ciência: vários pesquisadores ao redor do mundo fazendo pequenas descobertas que, somadas, revolucionam a vida das pessoas.

 

Para mais informações e tratamento de diabetes, veja nossa página diabetes.

Para realizar uma consulta médica veja nossas informações de marcação em marcar consulta.

 

4 comentários em “Tatuagem e Vacina para Diabetes

    • Olá Maria,

      é verdade que uma bariátrica bem sucedida pode reduzir bastante os níveis de glicemia. Mas cada caso é um caso e o acompanhamento deve continuar: atividades físicas, alimentação saudável e acompanhamento médico. Tenha um bom 2018!

      Curtir

    • Olá Maria,

      é verdade que uma bariátrica bem sucedida pode reduzir bastante os níveis de glicemia. Mas cada caso é um caso e o acompanhamento deve continuar: atividades físicas, alimentação saudável e acompanhamento médico.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: